29 fevereiro 2012

Brecht

"Fôssemos infinitos, tudo mudaria. Como somos finitos, muito permanece".